quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Primavera ( Suicide Notes 3)


Tu não hesita em me atar ao seu curto sentimento
A aptidão de findar-me imóbil no reentrante ermo mundo da solidão
A figura que não cessa em jazida podridão
O menoscabado breu não mais se oculta
Tu se muta ao pó e minhas vísceras depressivas não mais se excitam

Começo caminhar apontando em linha a luz...